"Nestas impressões sem nexo, nem desejo de nexo, narro indiferentemente a minha autobiografia em factos, a minha história sem vida. São as minhas confissões, e, se nelas nada digo, é que nada tenho que dizer." [livro do desassossego. fernando pessoa]

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Me atiro do alto e que me atirem no peito

Ultimamente a idéia de que eu vou morrer jovem vem sendo recorrente em minha mente.
nunca tinha pensado nisso antes.

e daí só nessa última semana NONADA eu simplesmente digo:

"acho que vou morrer nova"

e todos olham estranho pra mim.

também disse:

"acho q vou morrer em um acidente de carro aos 26 anos"

Estranho isso.

Também tem o fato de eu nunca ter me imaginado casada, com filhos e toda essa baboseira; quem sabe não é um sinal disso msm, que no fundo eu sempre soube.

Essa historia me atormentou um pouco hj, precisava escrever sobre isso.

Aki estou.

Mas voltando, isso me atormentou pelo fato de poder ser verdade, mas também poder ser mais uma das minhas grandes viagens... só pra variar um pouco.

E ssa incerteza é que me mata.

hmm.....

mata

sacou??

hahahahaha

duh

nem teve graça.

>><<

Mas parando um pouco com a viagem dramática:
No fundo o que faz a vida ter graça não é essa mesma incerteza??Que na verdade todos temos??

:::

Não tenho medo de morrer. Já tive.

Depois dessa minha empreitada no ocultismo passou.
Quando você finalmente tem acesso a certas informações, que na verdade estavam ali o tempo todo vc q nao queria ver, as coisas acabam ficando mais claras.

ou não.
ainda mais confusas.

^^
Olha pra mim
=P