"Nestas impressões sem nexo, nem desejo de nexo, narro indiferentemente a minha autobiografia em factos, a minha história sem vida. São as minhas confissões, e, se nelas nada digo, é que nada tenho que dizer." [livro do desassossego. fernando pessoa]

domingo, 4 de julho de 2010

.liquidificador.

Olha meu amor
ou
seja

quem
for


Estou melhor aqui

Quanto tempo mais vai durar esse tempo
Será não ter fim?

E enquanto demorar essa chuva passar
Passo a noite inteira aqui na fronteira
Entre o céu e o mar

Não, não vou embora, sei que há frio lá fora

Vá, me deixe aqui

Eu estava meio tonto

Fui direto ao ponto

Pra dizer que sim

Eu me pus no seu lugar
Pra tentar me encontrar
Leva tempo, corre lento
Até eu me achar

Não há nada que eu não faça
Porque a vida não é de graça
Se esperar quando quiser
Se deixar ser, vejo quem és

Não há nada que eu não faça
Porque a vida não é de graça
Mais um dia na memória
Eu não largo minha história


Fui de novo ao seu lugar
Pra tentar me recompor
Bebi toda minha vida
De um liquidificador


[aerocirco.]

:::